terça-feira, 24 de abril de 2018

Projeto Diversos - Livros Acessíveis e Inclusivos é Lançado em Múltiplas Versões

O lançamento será na BIBLIOTECA DE SÃO PAULO, dentro do Parque da Juventude, em 25/04, às 14h
DIVERSOS
LIVROS ACESSÍVEIS E INCLUSIVOS

imagem: Logomarca do Projeto Diversos - Livros Acessíveis e Inclusivos com ilustração de páginas de livro repreentando asas de uma ave em alusão à viagem,

em sentido figurado, propiciada pela leitura.

A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo apresenta o projeto DIVERSOS – LIVROS ACESSÍVEIS E INCLUSIVOS, que reúne obras

de diversos autores, em múltiplos formatos acessíveis publicado no site do Centro de Tecnologia e Inovação (CTI). Em parceria com a organização Mais Diferenças,

o projeto DIVERSOS – LIVROS ACESSÍVEIS E INCLUSIVOS surge do compromisso e da necessidade de disponibilizar clássicos da literatura infantil e infanto-juvenil

em múltiplos formatos acessíveis, como contribuição à leitura no processo de formação da cidadania responsável e sustentável. O lançamento será na BIBLIOTECA

DE SÃO PAULO (avenida Cruzeiro do Sul, 2630, bairro Santana, ao lado do metrô Carandiru, dentro do Parque da Juventude), às 14h do dia 25 de abril de 2018,

com a presença de estudantes da rede pública de ensino, da Secretária de Estado, Dra. Linamara Rizzo Battistella e autoridades diversas.

Nos últimos anos, o Brasil avançou muito em relação aos direitos das pessoas com deficiência em diferentes campos e áreas de atuação, segmento que alcança

45,6 milhões no Brasil, e 9,3 milhões no estado de São Paulo. Nos diferentes espaços, quer sejam escolas, bibliotecas, livrarias e os próprios lares,
não existem ainda livros audiovisuais em formatos bilíngues – Português/Libras, ou mesmo livros que considerem as características das pessoas com deficiência

intelectual.

O Brasil garante a educação inclusiva em todas as etapas e modalidades de ensino, com salas de aula organizadas por grupos heterogêneos e múltiplos, assegurando

às crianças com e sem deficiência o direito de aprender e conviver juntas nas salas de aula. No entanto, muitas vezes, o livro - que apresenta diferentes

formas de ler e de levar o leitor a se relacionar com o texto, com as imagens, com o som, os movimentos, os códigos e as línguas - pode ser muito rico

para todas as pessoas, com e sem deficiência, se contar com recursos alternativos e adaptáveis, para seu pleno acesso.

O acesso à informação, à comunicação, ao livro, à leitura e à literatura continuam sendo desafios importantes, que demandam conscientização, pesquisa,

produção e disseminação de materiais acessíveis para pessoas com diferentes tipos de deficiência. O Projeto DIVERSOS – LIVROS ACESSÍVEIS E INCLUSIVOS apresenta

bloco de livros desenvolvido para que todas as pessoas com e sem deficiência possam ter acesso à leitura, por via digital - computador, notebook, tablet

ou celular.

Como o próprio nome diz, os livros são diversos! São histórias divertidas, animadas, de suspense, de aventura, de amor, de fantasia. São histórias de hoje

e de antigamente. São histórias que se passam aqui e em outros lugares do mundo. Crianças e adolescentes, com e sem deficiência, podem escutar a história

que está sendo contada; podem ouvir os sons que ajudam a imaginar; podem ver o texto escrito na tela; podem ver as imagens que estão nos livros e escutar

as descrições delas. Também podem ver o livro ser contado em Libras, o idioma de muitas pessoas surdas.

As memórias que nos acompanham ao longo da vida em relação às histórias, aos livros, aos contos de fadas e às diferentes narrativas que sobrevivem ao tempo

são fundamentais e carregam uma carga simbólica expressiva. Em alguns livros, o texto foi reescrito de uma forma mais simples, ao qual denominamos Leitura

Fácil, com glossário explicativo para facilitar o entendimento de palavras menos usuais. DIVERSOS – LIVROS ACESSÍVEIS E INCLUSIVOS é o projeto de leitura

fácil da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo - para todos.

SERVIÇO
Lançamento do Projeto

DIVERSOS
LIVROS ACESSÍVEIS E INCLUSIVOS

Data: 25 de abril de 2018
Horário: 14h00
Local: BIBLIOTECA DE SÃO PAULO
Endereço: avenida Cruzeiro do Sul, 2630, bairro Santana, ao lado do metrô Carandiru, São Paulo, capital dentro do Parque Juventude
Saiba melhor como funciona o projeto:
https://youtu.be/GRKPtWJjU_Q
fonte secretaria dos direitos da pessoa com deficiencia
Projeto Diversos - Livros Acessíveis e Inclusivos é Lançado em Múltiplas Versões vai ser dia 25 abril

Universidade em Campinas recebe exposição fotográfica sobre pessoas com deficiência retratadas em livro

Mostra reúne imagens e histórias de 20 pessoas entrevistadas no livro 'Identidade Cultural - da Literatura para a Razão'. Abertura do espaço será nesta

quarta-feira (25).
Por G1 Campinas e Região
Andressa Chaves é uma das pessoas retratadas na exposição (Foto: Marcio Lauria Filho/Divulgação)
A Universidade Paulista (Unip), em Campinas (SP), recebe a partir desta quarta-feira (25) uma exposição fotográfica no campus Swift sobre 20 pessoas com

deficiência retratadas no livro "Identidade Cultural - da Literatura para a Razão", da historiadora Vanilda Ribeiro dos Santos.

Parte dos personagens do livro possuem deformidades bucomaxilofaciais, que afetam seus rostos. O curador da exposição é o especialista em cirurgia bucomaxilofacial

Luciano Dib, que também é professor no programa de mestrado e doutorado em odontologia pela universidade.

A mostra tem entrada gratuita e fica em cartaz até 24 de maio. Durante a abertura, haverá cerimônia de lançamento do livro, com a presença da historiada.


O projeto

Segundo a autora, os personagens que contam histórias no livro foram escolhidos por terem conseguido reconfigurar as trajetórias de vida. Com isso, explica,

o projeto surgiu diante da necessidade de criar algo vinculado à cultura que trouxesse estas pessoas como protagonistas.

Serviço
Lista  de 4 itens
·Exposição "Identidade Cultural - da Literatura para a Razão"
·Quando: 25 de abril a 24 de maio
·Onde: campus Swift da Unip - Rua Comendador Enzo Ferrari, 280
·Entrada gratuita
 fonte g1

Praça na Capital recebe nome de Dorina Nowill

Na manhã de domingo, 22 de abril, aconteceu no bairro da Saúde, capital paulista, inauguração de uma praça em homenagem à Dorina de Gouvêa Nowill, nome

tradicionalmente ligado às pessoas com deficiência visual. A nova praça Dorina Nowill está instalada no espaço livre delimitado pelas ruas Agostinho Rodrigues

Filho, Leandro Dupré e Cel. José Dionísio Gouveia, Prefeitura Regional Vila Mariana.

Praça Dorina Nowill: aberta ao público em geral e homenagem a quem se dedicou aos cegos

A homenagem foi oferecida pela Prefeitura de São Paulo e Câmara Municipal de São Paulo à Dorina Nowill, uma mulher que se destacou por sua atuação em prol

da inclusão social das pessoas com deficiência visual. Estiveram presentes o Secretário Adjunto da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência

de São Paulo, Luiz Carlos Lopes; a presidente do Conselho de Curadores da Fundação Dorina Nowill para Cegos, Ika Fleury; e o Secretário Municipal da Pessoa

com Deficiência, Cid Torquato, entre outras autoridades.

O Secretário Adjunto, Luiz Carlos Lopes, falou sobre a importância de Dorina Nowill e destacou ações da Secretaria voltadas às pessoas com deficiência

visual. “Ano passado, tivemos o prazer de coordenar um projeto que investiu R$ 2,5 milhões para acessibilizar 62 bibliotecas públicas no Estado de São

Paulo”.

ika Fleury, entre os Secretários Luiz Lopes (esq.) e Cid Torquato (dir.) na inauguração da praça

“Um investimento que se justifica, pois a pessoa cega lê em média mais livros que pessoas videntes no Brasil, e esse investimento, esse olhar, esse esforço

para estimular a leitura das pessoas cegas, não existiria se não fosse a Fundação Dorina Nowill, se não fosse a própria Dorina, que é múltipla, uma pessoa,

uma Fundação, ela é uma personagem de história em quadrinhos e hoje ela virou praça, pessoa múltipla, que merece nosso respeito”, ressaltou Luiz Lopes.


A oficialização do nome aconteceu com uma festa aberta à comunidade, com apresentação do DJ Anderson Farias, performance da Cia Ballet de Cegos da Associação

Fernanda Bianchini e food trucks.

“Uma cidadã consciente das necessidades da sociedade desde jovem; atuou em defesa dos direitos humanos e sociais dos cidadãos com e sem deficiência”, explicou

Ika Fleury, pontuando que esse é um momento importante em relação ao trabalho que a Fundação tem desenvolvido ao longo dos anos. “Uma homenagem desta natureza

contribui para que outras pessoas venham a ser voluntárias e líderes de movimentos que acreditam”, acrescentou.

DORINA NOWILL

Dorina Nowill foi criadora da Fundação para o Livro do Cego no Brasil, em 1946, que se transformou depois em Fundação Dorina Nowill. A entidade, localizada

na Vila Clementino, existe há 60 anos e não havia nenhuma via púbçlica que a homenageava.

Dorina Gouvea Nowill nasceu em 1919 e ficou cega aos 17 anos, em virtude de uma infecção ocular, que progrediu rapidamente para cegueira. A cegueira, contudo,

não a impediu que seguisse carreira na área da educação.

Em 1945, conseguiu convencer a Escola Caetano de Campos, na capital paulista, onde cursava o magistério e viria a se formar como professora, a implantar

o primeiro curso de especialização de professores para o ensino de cegos. Nessa época, livros em braile eram raríssimos e ela teve que cursar a escola

como estudante sem deficiência. Após diplomar-se, viajou para os Estados Unidos com uma bolsa de estudos paga pelo governo americano para frequentar um

curso de especialização na área da deficiência visual. Dorina faleceu em agosto de 2010.

fonte secretaria dos direitos da pessoa com deficiencia

Araraquara: ONG que atende deficientes visuais tem eletrônicos e dinheiro furtados

Crime aconteceu no domingo (22) no prédio da Para-DV, no Centro. Suspeitos do crime ainda não foram identificados.
Por G1 São Carlos e Araraquara
ONG é invadida por ladrões e levam aparelhos eletrônicos e dinheiro em Araraquara (Foto: ACidadeOn/Araraquara)
Ladrões invadiram o prédio da ONG Associação para o Apoio e a Integração do Deficiente Visual (Para-DV), em Araraquara (SP), e levaram aparelhos eletrônicos,

além de todo o dinheiro que estava no local, no domingo (22). Os suspeitos não foram identificados e a Polícia Civil irá investigar o caso.

Os funcionários chegaram para trabalhar na manhã desta segunda e notaram portas arrombadas no prédio, que fica na Avenida Duque de Caxias, no Centro. A

Polícia Militar foi acionada e realizou vistoria no imóvel.

De acordo com a coordenadora administrativa, Maria Helena Viana, o dinheiro que estava local seria usado para a elaboração de um evento para arrecadar

fundos, já que a entidade passa por problemas financeiros.

Bloco de citação
“A gente está trabalhando em um evento e acabaram levando o dinheiro, ainda não sabemos quanto foi. Fazemos esses eventos para pagar nossas contas. Ajuda

temos bem pouco e o que temos ainda foi roubado”, disse.
Fim do bloco de citação
Dinheiro que seria usado para pagamento de contas foi levado de ONG de Araraquara (Foto: ACidadeOn/Araraquara)
A Para-DV existe desde 1995 e tem como objetivo buscar meios para que pessoas com deficiência visual recebessem orientação e atendimentos especializados

para garantir uma vida mais plena e participativa.

A entidade trabalha com crianças e adultos de todas as idades, com aulas de braile, orientação e mobilidade, informática, educação física, terapia ocupacional,

entre outros. Em média são atendidas 75 pessoas por mês.
“Agora é correr atrás do prejuízo, consertar o que foi quebrado e tentar repor o que foi levado. A gente esperava arrecadar pelo menos uns R$ 4 mil para

pagar dívidas”, contou a coordenadora.

Doações

Os interessados queiram doar qualquer quantia em dinheiro podem procurar a direção da ONG na sede, na Avenida Duque de Caxias, número 364, 1º andar – sala

14, ou ligar no (16) 3333-1212.
fonte g1

sábado, 21 de abril de 2018

Copa terá narração especial em estádios para deficientes visuais

A Copa do Mundo na Rússia terá uma novidade em Mundiais: uma narração especial para deficientes visuais. Trata-se de uma ferramenta em que um profissional

especializado em audiodescrição relata tudo o que acontece durante o jogo para quem não consegue captar todos os detalhes.

O objetivo do Comitê Organizador Local é oferecer 200 kits de fones de ouvido em cada uma das 64 partidas da Copa. Seu uso será gratuito e reservado para

quem tem qualquer tipo de limitação visual.

O serviço já foi testado na última Copa das Confederações, quando quatro narradores trabalharam nas quatro cidades-sede utilizadas no torneio. Segundo

dados oficiais, 234 espectadores usaram a ferramenta nas 16 partidas disputadas na Copa das Confederações.

"É importante destacar que todos os torcedores que usaram o serviço de audiodescrição estavam sentados com os demais espectadores no estádio. Ou seja,

pessoas cegas ou com deficiência visual não ficaram isoladas e tiveram a mesma experiência dos demais", disse Dmitri Grigoriev, chefe da divisão de serviços

ao espectador do comitê local.

Para oferecer tal ferramenta, profissionais da comunicação estão fazendo cursos teóricos e práticos na Universidade Russa de Economia Plekhanov. O responsável

pelas aulas é Pavel Obiukh, que é deficiente visual.

"Atualmente, as narrações de rádio são muito similares às da televisão. Os comentaristas preenchem as pausas do jogo com informações genéricas, mas um

espectador que não pode ver o jogo está interessado nos detalhes do ambiente. No nosso caso, o objetivo é descrever tudo que acontece e deixar as conclusões

para o torcedor", explicou Obiukh ao site oficial da Fifa.

Dos 12 estádios que receberão as partidas da Copa, apenas dois terão a audiodescrição em russo e inglês: a Arena Luzhniki, em Moscou, e o estádio Krestovsky,

em São Petersburgo. O primeiro será palco de sete jogos, incluindo a abertura e a final da Copa, enquanto o segundo receberá sete jogos, entre eles uma

semifinal e o segundo jogo do Brasil, contra a Costa Rica, no dia 22 de junho.

Nas demais arenas, o serviço de audiodescrição será exclusivo em russo, voltado para os torcedores locais.
 fonte Correio do Estado

Crianças com deficiência visual acompanham jogo de futebol

Iniciativa é desenvolvida por alunos da Pós-Unifor e acontecerá próximo domingo, durante a partida Ceará x São Paulo, na Arena Castelão.
Por Unifor
A primeira edição do projeto “Olhos que enxergam com o coração” aconteceu em fevereiro do ano passao. Na ocasião, as crianças puderam acompanhar a partida

do Fortaleza. (Foto: Ares Soares/Unifor)
Formar alunos com ideais e vontade de transformar a sociedade é o grande objetivo da
Pós-Unifor,
observado já em seu lema: Líderes que Transformam. Alinhado a esse desejo, o projeto “Olhos que enxergam com o coração” levará grupo de 11 crianças com

deficiência visual para acompanhar, por meio da audiodescrição em tempo real, o jogo entre Ceará e São Paulo no próximo domingo, 22 de abril, a partir

das 16h, na Arena Castelão, pela série A do Campeonato Brasileiro. Esta é a segunda edição do projeto: em fevereiro do ano passado as crianças acompanharam

partida do Fortaleza.

Onze crianças, cada uma acompanhada de um familiar, serão contempladas com a ação do próximo domingo. Eles terão garantia de transporte, camisas oficiais

de clubes com inscrições em braile, alimentação, cuidados assistenciais de saúde e formas específicas de acolhimento e comunicação. Todo o grupo sairá

em conjunto do Instituto dos Cegos, na Av. Bezerra de Menezes, às 13h, com previsão de chegada à Arena Castelão às 15h. Os pequenos vão poder entrar em

campo e acompanhar toda partida de futebol por meio de uma narração com equipamentos especiais, semelhantes aos usados para tradução simultânea.

Para o aluno Bruno Santos, da Pós-Unifor, o projeto possibilita por meio de momentos de lazer, um resgate de vivências e contato com novas experiências,

questões fundamentais para reabilitação e desenvolvimento. “É um trabalho de inclusão social trazer estas crianças em um ambiente natural da sociedade.

Não é só passeio, mas também é um momento de aprendizado. É fundamental que a Pós-Unifor instigue cada vez mais alunos a realizarem ações como esta, pois,

assim, impactaremos positivamente na sociedade, exercendo nossa liderança que transforma”, salienta Bruno Santos.

A partir do projeto-piloto idealizado pelos alunos da Pós-Unifor, o
Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE),
em parceria com 11 instituições, idealizou o projeto “Esporte Acessível”, por meio da assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). No TAC, ficou

definido que a iniciativa se destina a propiciar o acesso à Arena Castelão de deficientes visuais vinculados à Sociedade de Assistência aos Cegos (Instituto

dos Cegos).

Participam do projeto a Secretaria Estadual de Esporte, a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, a Unimed Fortaleza Sociedade Cooperativa Médica,

o Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, a Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Idosos e Pessoas com Deficiência, a Federação

Cearense de Futebol e a
Sociedade de Assistência aos Cegos (Instituto dos Cegos),
além de MPF e MP-CE.

Participam do projeto a Secretaria Estadual de Esporte, a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, a Unimed Fortaleza Sociedade Cooperativa Médica,

o Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, a Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Idosos e Pessoas com Deficiência, a Federação

Cearense de Futebol e a Sociedade de Assistência aos Cegos (Instituto dos Cegos), além de MPF e MP-CE.
fonte g1

Treze países vêm ao Open Internacional Loterias Caixa na próxima semana

Por CPB
O Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, será sede na próxima semana do Open Internacional Loterias Caixa de Atletismo e Natação 2018. Principal

competição do esporte paralímpico em solo brasileiro nesta temporada, o evento acontecerá de 26 a 28 de abril e receberá 400 atletas, sendo 226 do atletismo

e 174 da natação. Ao todo, 13 países estarão representados: África do Sul, Argentina, Brasil, Chile, Cuba, Equador, El Salvador, Gana, Israel, México,

Peru, Portugal e Turquia.

Em ambas as modalidades, o Brasil estará representado pela sua Seleção Brasileira. Vale ressaltar que o evento faz parte do Grand Prix de atletismo e da

World Series de natação, que são circuitos organizados pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês). Os países também terão a concorrência de

atletas de clubes nacionais, que atingiram os índices estabelecidos para obter a classificação ao Open.

"O Open Internacional Loterias Caixa é a principal competição anual que recebemos e é estrategicamente importante no nosso calendário. Por um lado, coloca

o Brasil e o Centro Paralímpico no radar dos grandes eventos. Por outro, é a oportunidade de os nossos atletas competirem em alto nível sem nem sequer

precisar sair de casa. Estamos ansiosos e certos de que os melhores resultados estão por vir na próxima semana", disse Mizael Conrado, presidente do Comitê

Paralímpico Brasileiro.

Na natação, destaque para Daniel Dias. Vinte e quatro vezes medalhista paralímpico, o paulista terá em São Paulo a chance de replicar a performance que

lhe rendeu o título de melhor atleta de 2017 da World Series. O atletismo, por sua vez, será estrelado sobretudo por Petrúcio Ferreira. Atual campeão paralímpico

e mundial dos 100m T47, para atletas com amputação de braço, o paraibano vem à capital paulista para firmar-se mais uma vez como principal nome da velocidade

no país.

As disputas da natação acontecerão com eliminatórias por tempo nas sessões pela manhã, com premiação por classe. À noite, estão previstas finais balizadas

com base no índice técnico competitivo (ITC) dos atletas. A etapa noturna da sexta-feira, 27, será transmitida pelo canal SporTV, a partir das 17h.

No atletismo, quinta e sexta-feira serão dias de eliminatórias com balizamento por tempo. No sábado, 28, acontecerão os superdesafios, que serão balizados

de acordo com os ITCs obtidos pelos atletas nos dois primeiros dias. Os oito primeiros disputarão o superdesafio prova A, com premiação também por ITC.

Os atletas que ficarem de nono a 16º lugares farão a prova B. O SporTV transmitirá os desafios, no sábado, a partir das 9h.

Credenciamento de Imprensa
Os profissionais de imprensa interessados na cobertura do Open Internacional Loterias Caixa de Atletismo e Natação precisará enviar um e-mail para
imp@cpb.org.br
com os seguintes dados: nome completo, veículo, função e telefone para contato. O prazo para credenciar-se é quarta-feira, 25.

Patrocínios
O paratletismo tem patrocínio das Loterias Caixa e da Braskem.
A natação tem patrocínio das Loterias Caixa.

Time São Paulo
O atleta Daniel Dias é integrante do Time São Paulo, parceria entre o CPB e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo

que beneficia 62 atletas e seis atletas-guia de dez modalidades.

Serviço
Open Internacional Loterias Caixa de Atletismo e Natação
Data: 26,27 e 28 de abril
Local: Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo - Rodovia dos Imigrantes, km 11,5 (ao lado do São Paulo Expo)

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (
imp@cpb.org.br)