sábado, 16 de junho de 2018

Plataforma digital favorece produção de conhecimento sobre as deficiências

D-Eficiência será apresentada em evento na Universidade Federal de Minas Gerais no dia 20 de junho
Uma comunidade virtual para familiares, cuidadores e pessoas com deficiência desenvolverem interações diretas e mediadas visando à produção de conhecimento

sobre as condições das deficiências, inclusão social e digital e compartilhamento de informações e experiências cotidianas. Assim se define a Plataforma

D-Eficiência, que será apresentada na próxima quarta-feira, 20 de junho, a partir das 10h, no Auditório A-102, do Centro de Atividades Didáticas 2 (CAD

2).

“O espaço construído a partir e em torno da plataforma permite uma interação dinâmica e rápida de pessoas com deficiência, cuidadores especializados, familiares,

profissionais da saúde e instituições do Brasil e do exterior que lidam com os problemas associados às deficiências”, explica o professor Dimitri Fazito,

do Grupo Interdisciplinar de Análise de Redes Sociais (Giars), do Departamento de Sociologia da Fafich, e subcoordenador do projeto.

Além da UFMG, estão envolvidas na plataforma as universidades federais do Pará (UFPA) – onde a coordenação nacional do projeto está sediada – e do Oeste

do Pará (Ufopa), Estadual do Maranhão (Uema), USP Ribeirão Preto e Universidade Tecnológica de Dortmund (Alemanha). Cada instituição coordena ações específicas

na rede e orienta trabalhos de mestrado e doutorado a ela relacionados.

O projeto é financiado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Capes e Ministério da Ciência e Tecnologia. Lançada em 2017, a Plataforma D-Eficiência

é projeto piloto desenvolvido para atender a edital da Capes que financia o desenvolvimento de tecnologias assistivas para atender conjuntos mais amplos

de pessoas com deficiências.

A participação no evento é gratuita e dá direito a certificado. Para se inscrever, o interessado deve encaminhar seus dados (nome, instituição, e-mail

e telefone) para o correio
inclusaodeficienciabh@gmail.com.

Redes de apoio

Os professores Dimitri Fazito e Silvio Salej, também do Giars, são subcoordenadores do projeto na UFMG e trabalham com as questões relativas às redes de

apoio social às pessoas com deficiência.

“Originalmente, a ideia era focar apenas nas famílias e cuidadores das pessoas com deficiência por lesão medular e mielo, mas as coisas foram mudando e

o escopo ampliou-se. Estamos começando a ter acesso a dados e informações de pesquisa sobre as redes sociais e interpessoais, inclusive da rede virtual

do D-Eficiência”, explica Fazito.

Segundo ele, a intenção é produzir estudos sobre atividades no âmbito digital desenvolvidas por pessoas com deficiêntes, seus familiares e cuidadores,

além de profissionais de saúde e instituições. “Queremos saber como essas pessoas se conectam e usam suas redes para ajudar a resolver problemas relacionados

às deficiências”, afirma o professor do Departamento de Sociologia.

Fonte:
Universidade Federal de Minas Gerais Site externo

Seleção Brasileira derrota a China e vai à final do Mundial de Futebol de 5

Por CPB
Renan Cacioli/CBDV
Imagem

A Seleção Brasileira de futebol de 5 está na final da Campeonato Mundial, na Espanha. Nesta sexta-feira, 15, a equipe tetracampeã mundial superou a China

e venceu por 1 a 0, gol do ala Ricardinho. O último obstáculo que separa o Brasil do penta é a Argentina, que bateu a Rússia na outra semifinal. A decisão

será no domingo, 17, às 7h (de Brasília), no Colégio Sagrado Coração de Chamartín, palco do torneio.

A camisa pesou mais uma vez no quarto encontro importante entre brasileiros e chineses nos últimos oito anos, o décimo em toda a história. Os times já

haviam se enfrentado nas semifinais dos Jogos Paralímpicos do Rio, em 2016, e do Mundial de 2014, em Tóquio, no Japão. Também mediram forças na decisão

paralímpica de 2008, em Pequim, casa dos chineses. Em todas essas ocasiões, a Seleção canarinho levou a melhor, e sempre por 2 a 1.

Desta vez, a vitória veio pelo placar mínimo, em partida na qual os asiáticos passaram o tempo todo com três jogadores fixos atrás e apenas uma peça mais

adiantada, tentando costurar a marcação para arriscar arremates de média distância. Melhor para os brasileiros, que conseguiram furar a muralha chinesa

aos 18 do primeiro tempo – foi o primeiro gol sofrido pela China neste Mundial.

“Foi um jogo duro fisicamente, corrido, exigiu que nosso treinador rodasse bastante o time, mas no final deu tudo certo e conseguimos o primeiro objetivo,

que era chegar à final”, falou o ala Jefinho.

Será a quinta vez em sete edições do Mundial que Brasil e Argentina vão protagonizar o duelo final. Os brasileiros levaram a melhor em 1998 (Paulínia-BRA),

2000 (Jerez de la Frontera-ESP) e 2014 (Tóquio-JAP). Os argentinos ganharam em 2006, quando jogaram em casa.

Vale lembrar que foram justamente os hermanos que quebraram uma sequência impressionante de 11 anos ininterruptos de conquistas do Brasil, no ano passado,

quando ganharam a Copa América do Chile nos pênaltis. Até então, o Brasil havia vencido todos os torneios disputados desde o Mundial de 2006.

“A gente imagina um jogo parecido com o de hoje, com a diferença que a Argentina é mais forte na defesa e não tem a mesma velocidade da China, mas conta

com jogadores perigosos na frente”, analisa Jefinho.

Além da taça, o campeão em Madri garantirá vaga para os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020.

Serviço

Links para transmissão das partidas:
Facebook do Comitê Paralímpico Brasileiro (apenas jogos do Brasil):
www.facebook.com/comiteparalimpico
Site oficial:
http://madrid.mundialfutbolciegos.com/directo-streaming/

Clique aqui e confira a galeria de fotos do Mundial na página da CBDV no Flickr.

Veja a tabela completa, inclusive com a lista de artilheiros atualizada (os horários são todos de Brasília):
https://bit.ly/2GVlTdN

*Com informações da CBDV.

Assessoria de comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (
imp@cpb.org.br)

Atletas são afastadas e coordenadora comete suicídio após escândalo de abuso no basquete paralímpico

Lia Soares Martins, principal jogadora de basquete em cadeira de rodas do país, está afastada por conta do escândalo. Foto: Divulgação

Um novo escândalo de abuso sexual vinha sendo mantido em sigilo por uma importante confederação nacional. Imagens do abuso, ocorrido no ano passado, já

causaram o afastamento de três atletas da seleção brasileira de basquete em cadeira de rodas, Lia Soares Martins, Denise Eusébio e Geisa Vieira – as duas

primeiras disputaram a Rio-2016 e estavam convocadas para o Mundial deste ano. O incidente ocorreu durante treinamento do clube Gladiadoras/Gaadin (Grupo

de Ajuda dos Amigos Deficientes de Indaiatuba), do interior de São Paulo.

O caso ainda vai além. Gracielle Silva, coordenadora do clube e que também aparece nas imagens do abuso, tirou a própria vida há duas semanas. Todo o tema

vem sendo tratado com extrema delicadeza pelos envolvidos, que sabem estarem lidando com um barril de pólvora. Lia é o grande nome do basquete em cadeira

de rodas no Brasil, tendo participado de três edições dos Jogos Paraolímpicos. O basquete em cadeira de rodas é uma das modalidades geridas por confederação

própria, não pelo Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB), que soube do caso há um mês.

A reportagem do Olhar Olímpico teve acesso a algumas das imagens da agressão. O abuso teria ocorrido em março do ano passado, mas só passou a ganhar repercussão

em março deste ano. Pelas fotografias, é possível ver a vítima deitada no chão, sendo segurada à força por companheiras de clube e pela coordenadora, única

que não cadeirante. Uma das jogadoras participa fotografando e, ao que consta, também filmando o ato, que envolve um pênis de borracha.

O caso vinha sendo tratado como “brincadeira” até o fim de abril, quando a Rede Globo exibiu reportagem e denunciou os abusos cometidos pelo técnico Fernando

de Carvalho Lopes, da ginástica artística. No dia seguinte, o ginasta Diego Hypolito, medalhista olímpico, foi a público revelar que, na infância, havia

sido vítima de abusos por parte de colegas, que o obrigaram inclusive a enfiar uma pilha, banhada de pasta de dente, em seu ânus.

Os relatos teriam motivado à cadeirante vítima do abuso a agir. Nos dias seguintes ela deixou o clube no qual treinava e passou a reconhecer que aquela

“brincadeira” havia sido, na verdade, um abuso. A denúncia chegou até um órgão de imprensa, que avançou na apuração até encaminhar a divulgação da história.

Foi quando a técnica da equipe se suicidou.

Há uma semana, o Olhar Olímpico foi informado da história. Nos dias seguintes, diversos atletas da modalidade em questão foram procurados, mas todos encerraram

qualquer contato quando informados sobre o assunto. Afirmaram, em uníssono, que não tinham nada para falar sobre o tema, que virou tabu. As fotos circulam

em grupos de Whatsapp há pelo menos três meses, assim como um vídeo, que comprovaria o abuso.

A própria vítima até agora não apresentou queixa formal junto à polícia e a expectativa, pelo que apurou o blog, é que isso ocorra esta semana ou, no mais

tardar, na próxima. A advogada que a representa quer primeiro colher provas suficientes que a permitam atestar que o caso tratou-se de um abuso, não de

uma brincadeira, como dizem as jogadoras afastadas da seleção. Estas afirmam que são vítimas de um complô. Em uma das imagens a que o Olhar Olímpico teve

acesso é possível ver a mão da vítima tentando recolocar sua calcinha, enquanto as demais impedem.

Em nota ao Olhar Olímpico, a Confederação Brasileira de Basquetebol em cadeira de rodas (CBBC) disse que tomou conhecimento do caso no final de março de

2018 e imediatamente pediu que as provas fossem enviadas. Assim que recebeu o material, cerca de um mês depois, decidiu afastar as atletas envolvidas da

seleção brasileira. “Aguardamos os desdobramentos da justiça para qualquer novo posicionamento ou medida”, disse a entidade, alegando não ter sido procurada

pela vitima.

O blog também falou com a jogadora Geisa, que seria a responsável por fazer as fotografias do abuso. Ela parou de responder à conversa pelo Whatsapp quando

foi informada da publicação da reportagem e também não compartilhou os contatos das demais jogadoras acusadas.

Já o CPB, que no caso do basquete em cadeira de rodas tem a mesma relação com a CBBC que o COB tem com a CBB no basquete, diz que foi informado do caso

no mês passado, pelo presidente da confederação, Valdir Soares Moura. “O CPB não gerencia clubes e seleções de confederações afiliadas”, explicou o comitê,

quando questionado se havia tomado providência. “O CPB está monitorando o caso e seus desdobramentos atentamente”, complementou o órgão, que informou que

nos últimos meses promoveu duas ações de conscientização sobre o tema. “Estamos em contato direto com o Ministério Público do Trabalho, para apoiar em

atividades preventivas, em consonância com o que já tem sido feito com outras entidades esportivas.”

Fonte:
https://diarioms.com.br/

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Deficientes visuais promovem sessões de massoterapia em Fortaleza

Cada sessão custa entre R$ 15 e R$ 20. O valor cobrado é repassado integralmente aos massoterapeutas.
Por G1 CE
Deficientes visuais promovem sessões de massoterapia em Fortaleza  (Foto: Dhiego Maia/G1)
Quarenta e seis pessoas com deficiência visual, integrantes do Projeto Visão nas Mães, vão oferecer serviços de massoterapia em Fortaleza. A iniciativa

da Prefeitura de Fortaleza pretende inserir esses profissionais no mercado de trabalho, disponibilizando espaços públicos para a execução de atividades

de massoterapia.

Neste mês de junho, os profissionais oferecerão serviços de massoterapia em diversos pontos da cidade, como a Praça dos Estressados, Mercado Central de

Fortaleza, Ouvidoria e Controladoria do Estado, Fórum Clóvis Beviláqua, Secretaria Municipal de Infraestrutura, Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente,

Coordenadoria Especial de Relações Internacionais e Federativas (Cerif) e nas Regionais I e IV.

Visão nas Mãos

As pessoas com deficiência visual, que participam do Projeto Visão nas Mãos, recebem consultoria, capacitação gerencial, disponibilização de material de

trabalho, bem como distribuição de materiais de consumo - camisas, toalha de rosto, mochila, loção hidratante, touca descartável, papel toalha e álcool

em gel.

Cada sessão custa entre R$ 15 e R$ 20. O valor cobrado nas sessões é repassado integralmente aos massoterapeutas. Mais informações podem ser obtidas pelo

telefone 0800 081 4141.

Programação

Tabela com 2 colunas e 11 linhas
Onde
Quando
Praça dos Estressados: Avenida Beira Mar, S/N - Meireles
Todos os dias (6h30 às 11h/ 17h às 21h)
Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado: Av. Gal Afonso Albuquerque Lima - Edifício SEPLAG - 2º andar - Cambeba
Dia 28.06 (8h às 16h)
Tribunal de Justiça do Estado do Ceará: Av. Gal Afonso Albuquerque Lima, S/N - Cambeba
Todas as quintas-feiras (11h às 16h)
Fórum Clóvis Beviláqua: Rua Des. Floriano Benevides, 220 - Edson Queiroz
Todas as terças-feiras (8h às 17h)
Mercado Central de Fortaleza: Av. Alberto Nepomuceno, 199 - Centro
Todos os sábados (9h às 15h)
Seuma / Seinf: Av. Deputado Paulino Rocha, 1343 - Cajazeiras
Todas as quintas-feiras (8h às 16h)
Secretaria Regional IV: Av. Silas Munguba, 3770 - Serrinha
Todas as quintas-feiras (8h às 16h)
Fórum das Turmas Recursais: Av. Santos Dumont, 1400 - Aldeota
Todas as sextas-feiras (8h às 17h)
Coordenadoria de Relações Internacionais: Rua Tibúrcio Cavalcante, 900 - Meireles
Dia 05.06 (8h às 17h)
Secretaria Regional I: Rua Dom Jerônimo, 20 - Farias Brito
Dias 05, 06 e 07.06 (8h às 17h)
fim da tabela

Fonte: Prefeitura de Fortaleza

REGULAMENTADA A ACESSIBILIDADE EM SALAS DE ESPETÁCULOS

Dois normativos presidenciais, publicado neste mês de junho, indicam a aplicação das normas do Estatuto da Pessoa com Deficiência, instituído pela Lei

Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência 13.146/2015.

O Decreto 9.404/2018 dispõe sobre a reserva de espaços e assentos em teatros, cinemas, auditórios, estádios, ginásios de esporte, locais de espetáculos

e de conferências e similares para pessoas com deficiência.
O normativo indica a reserva de espaços livres para pessoas em cadeira de rodas e assentos para pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida, de

acordo com a capacidade de lotação da edificação. Nesses locais, a sinalização deve atender a normas técnicas de acessibilidade da Associação Brasileira

de Normas Técnicas (ABNT) e assentos devem ser destinados a acompanhantes.
Além de apresentar a quantidade de lugares por perfil, o texto diz que 50% desses assentos reservados devem ter características dimensionais e estruturais

para o uso por pessoa obesa, com a garantia de, no mínimo, um assento.
No caso das salas de espetáculo, elas deverão dispor de meios adequados como por exemplo: legenda oculta, audiodescrição, intérprete de Libras e de guias-intérpretes.


Já o Decreto 9.405/2018 estabelece tratamento diferenciado, simplificado e favorecido também nas microempresas e às empresas de pequeno porte, conforme

já está previsto no Estatuto da Pessoa com Deficiência.
De acordo com a norma, os pequenos empreendimentos também devem atender as normas de acessibilidade, adaptações razoáveis, desenho universal e tecnologia

assistiva. Também terão de promover adaptações, modificações e ajustes necessários e adequados.
No caso de estabelecimentos abertos ao público, as normas de atendimento prioritário devem ser respeitadas, assim como igualdade de oportunidades na contratação

de pessoal, com a garantia de ambientes de trabalho acessíveis e inclusivos.
Os prazos estabelecidos pelo decreto são:
I. empresas de pequeno porte – 48 meses;
II. microempreendedores individuais e microempresas – 60 meses; e
III. hotéis, pousadas e aos outros estabelecimentos similares – 36 meses para empresas de pequeno porte; e 48 meses para microempreendedores individuais.


Fonte: Confederação Nacional dos Municípios

Prefeitura de São Paulo abre inscrições para concessão de bolsa para intérprete de Libras

Inscrições vão até 9 de julho pelo site do SP Cultura
A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Relações Internacionais e a Controladoria Geral do Município, publicou o Edital nº 01/2018

que abre inscrições para credenciamento de Agentes Formadores de Governo Aberto e para Intérpretes da Língua Brasileira de Sinais, com apoio do Comitê

Intersecretarial de Governo Aberto (CIGA-SP).

A comissão para a seleção contará com as assessoras técnicas da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência, Laila Sankari e Elsa de Oliveira.

O prazo para as inscrições será até 9 de julho. Para realizar o cadastro, basta se inscrever pela plataforma online SP Cultura:
http://spcultura.prefeitura.sp.gov.br

Lista de 2 itens
• PORTARIA CONJUNTA Nº 01 / 2018 / SMRI-CGM
• EDITAL Nº 01/2018 – SMRI/CGM - EDITAL DE CREDENCIAMENTO DE AGENTES FORMADORES DE GOVERNO ABERTO

fonte s m p e d

quinta-feira, 14 de junho de 2018

.: O QUE É A DECLARAÇÃO DE SALAMANCA? Foi a Conferência Mundial de Educação Especial, representando 88 governos e 25 organizações internacionais em assembléia

em Salamanca, Espanha, entre 7 e 10 de junho de 1994, com o compromisso para com a Educação para Todos, reconhecendo a necessidade e urgência de providenciar
educação para as crianças, jovens e adultos com necessidades educacionais especiais dentro do sistema regular de ensino. QUAIS OS DIREITOS DAS CRIANÇAS
PORTADORAS DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS? DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS toda criança tem direito fundamental à educação, e deve ser
dada a oportunidade de atingir e manter o nível adequado de aprendizagem. . toda criança possui características, interesses, habilidades e necessidades
de aprendizagem que são únicas. . sistemas educacionais deveriam ser designados e programas educacionais deveriam ser implementados no sentido de se levar
em conta à vasta diversidade de tais características e necessidades. . aqueles com necessidades educacionais especiais devem ter acesso à escola regular,
que deveria acomodá-los dentro de uma Pedagogia centrada na criança, capaz de satisfazer a tais necessidades. . escolas regulares que possuam tal orientação
inclusiva constituem os meios mais eficazes de combater atitudes discriminatórias criando-se comunidades acolhedoras,construindo uma sociedade inclusiva
e alcançando educação para todos. QUAIS FORAM AS OBRIGAÇÕES E PRIORIDADES QUE OS GOVERNOS FIRMARAM PARA QUE SE EFETIVE A DECLARACAO DE SALAMANCA? . prioridade
política e financeira ao aprimoramento de seus sistemas educacionais no sentido de se tornarem aptos a incluírem todas as crianças, independentemente de
suas diferenças ou dificuldades individuais. . adotem o princípio de educação inclusiva em forma de lei ou de política, matriculando todas as crianças
em escolas regulares, a menos que existam fortes razões para agir de outra forma. . desenvolvam projetos de demonstração e encorajem intercâmbios em países
que possuam experiências de escolarização inclusiva. . estabeleçam mecanismos de participações e que sejam descentralizados para planejamento, revisão
e avaliação de provisão educacional para crianças e adultos com necessidades educacionais especiais. . encorajem e facilitem a participação de pais, comunidades
e organizações de pessoas portadoras de deficiências nos processos de planejamento e tomada de decisão concernentes à provisão de serviços para necessidades
educacionais especiais. . invistam maiores esforços em estratégias de identificação e intervenção precoces, bem como nos aspectos vocacionais da educação
inclusiva. . garantam que, no contexto de uma mudança sistêmica, programas de treinamento de professores, tanto em serviço como durante a formação, incluam
a provisão de educação especial dentro das escolas inclusivas.
banner
.

Sejam bem vindos ao movimento pinguex História, cultura e informação.
fim de banner

quinta-feira, 3 de maio de 2012
O QUE É A DECLARAÇÃO DE SALAMANCA? Foi a Conferência Mundial de Educação Especial, representando 88 governos e 25 organizações internacionais em assembléia
em Salamanca, Espanha, entre 7 e 10 de junho de 1994, com o compromisso para com a Educação para Todos, reconhecendo a necessidade e urgência de providenciar
educação para as crianças, jovens e adultos com necessidades educacionais especiais dentro do sistema regular de ensino. QUAIS OS DIREITOS DAS CRIANÇAS
PORTADORAS DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS? DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS toda criança tem direito fundamental à educação, e deve ser
dada a oportunidade de atingir e manter o nível adequado de aprendizagem. . toda criança possui características, interesses, habilidades e necessidades
de aprendizagem que são únicas. . sistemas educacionais deveriam ser designados e programas educacionais deveriam ser implementados no sentido de se levar
em conta à vasta diversidade de tais características e necessidades. . aqueles com necessidades educacionais especiais devem ter acesso à escola regular,
que deveria acomodá-los dentro de uma Pedagogia centrada na criança, capaz de satisfazer a tais necessidades. . escolas regulares que possuam tal orientação
inclusiva constituem os meios mais eficazes de combater atitudes discriminatórias criando-se comunidades acolhedoras,construindo uma sociedade inclusiva
e alcançando educação para todos. QUAIS FORAM AS OBRIGAÇÕES E PRIORIDADES QUE OS GOVERNOS FIRMARAM PARA QUE SE EFETIVE A DECLARACAO DE SALAMANCA? . prioridade
política e financeira ao aprimoramento de seus sistemas educacionais no sentido de se tornarem aptos a incluírem todas as crianças, independentemente de
suas diferenças ou dificuldades individuais. . adotem o princípio de educação inclusiva em forma de lei ou de política, matriculando todas as crianças
em escolas regulares, a menos que existam fortes razões para agir de outra forma. . desenvolvam projetos de demonstração e encorajem intercâmbios em países
que possuam experiências de escolarização inclusiva. . estabeleçam mecanismos de participações e que sejam descentralizados para planejamento, revisão
e avaliação de provisão educacional para crianças e adultos com necessidades educacionais especiais. . encorajem e facilitem a participação de pais, comunidades
e organizações de pessoas portadoras de deficiências nos processos de planejamento e tomada de decisão concernentes à provisão de serviços para necessidades
educacionais especiais. . invistam maiores esforços em estratégias de identificação e intervenção precoces, bem como nos aspectos vocacionais da educação
inclusiva. . garantam que, no contexto de uma mudança sistêmica, programas de treinamento de professores, tanto em serviço como durante a formação, incluam
a provisão de educação especial dentro das escolas inclusivas.
Postado por
MOVIMENTO PINGÜEX